Papa admite “vergonha” pelo passado violento dos cristãos

Essa é a primeira vez que ele reconhece o erro da Igreja na época das Cruzadas. Durante o culto ecumênico que aconteceu nesta quinta-feira na Basílica de Assis, na Itália, o Papa Bento XVI reconheceu “com grande vergonha” que o cristianismo errou ao usar a violência em nome de Deus. O pronunciamento aconteceu no evento que marca o 25º aniversário do Dia Mundial da Oração pela Paz, evento que dessa vez reuniu 300 líderes de várias religiões como cristãos, judeus, muçulmanos, hindus, zoroastristas, taoistas, xintoístas, budistas e até mesmo representantes de grupos ateus. “Reconhecemos isso com grande vergonha. Mas está muito claro que isso [a violência] foi um abuso da fé cristã, algo que evidentemente contradiz sua verdadeira natureza”, disse o papa se referindo as Cruzadas e o uso da força para difundir a fé no Novo Mundo. Se referindo aos campos de concentração da II Guerra Mundial, Bento XVI exemplificou as consequências do que a ausência de Deus pode trazer e também condenou o terrorismo dizendo que negar a Deus pode gerar “Reconhecemos isso com grande vergonha. Mas está muito claro que isso foi um abuso da fé cristã, algo que evidentemente contradiz sua verdadeira natureza”.
Fonte: Gospel Prime
Anúncios

Pastor pode ficar 45 anos preso por pregar contra o homossexualismo

Em Massachusetts, nos Estados Unidos, mais de 400 líderes já foram presos por condenar a prática. O pastor peruano José Linares, fundador do Movimento Pro-Família (International CIPROFAM) pode ser condenado a 45 anos de prisão nos Estados Unidos por pregar contra o homossexualismo. No estado de Massachusetts, as leis são tão severas em relação a homofobia que mais de 400 líderes religiosos já foram presos. O pastor foi preso pelo “Crime de Ódio” e de acordo com um de seus advogados ele “está sendo incentivado pela leitura de sua Bíblia, falando de Cristo para seu companheiro de cela”. Sobre a prisão, o representante diz que lamenta a decisão do juiz e se preocupa com o caso. “Estamos preocupados com a violência dos manifestantes gays e do Estado. E como a imprensa tem sido indiferente sobre este caso, estamos tomando medidas, se tudo for favorável, ele está fora do país o mais rápido possível”, disse o Dr. James Lockett para a agência La Voz. José Linares é casado com Iris Linares com quem tem dois filhos, nos últimos meses sua família tem sido alvo de ataques de militantes gays. Se o pastor for condenado poderá passar 45 anos atrás das grades, o processo contra ele foi movido por uma organização LGBT que o acusa de ser o responsável pela morte de um jovem gay, depois que fez um comentário sobre o homossexualismo em uma rádio. “Tudo é uma armação dos ativistas LGBT, que sempre buscaram silenciá-lo e trancá-lo em uma prisão com falsos argumentos”, disso o advogado alegando que o grupo de homossexuais tem muito espaço na mídia, fazendo pressão para que o pastor seja condenado.
Fonte: Gospel Prime

Dois homens se divorciam, tornam-se lésbicas transgêneros casam e agradecem apoio da igreja

Reconhecimento legal do casamento veio depois de um deles fazer uma operação para mudança de sexo. Um casal de lésbicas transgêneros tornou-se marido e mulher, e também esposa e esposa, no mesmo dia. Jenny-Anne Bishop, 65 anos, cujo nome de batismo era Paul (pai de três filhos), e Elen Heart, 68, que já foi Alan (pai de dois), vivem como um casal gay desde 2004 na cidade de Clwyd, no País de Gales. Ambos são divorciados e criaram cinco filhos em seus casamentos. Adultos entre eles viveram juntos, por seis anos como lésbicas transgêneros. Mas o casal decidiu não fazer a cirurgia de mudança de sexo devido aos riscos associados à sua idade. Ano passado isso mudou. Jenny-Anne decidiu fazer a operação para mudar de sexo, além de plásticas para aumentar os seios e neste ano optou por um procedimento que garantia sua feminização facial. O casal já se tornou oficialmente “marido e mulher” em uma cerimônia civil em North Wales. Alguns dias depois, fizeram a cerimônia religiosa no templo da Comunidade Metropolitana em Manchester, Inglaterra, onde o amigo transgênero “Gabrielle” foi sua dama de honra. Elen, um designer gráfico aposentado que toma hormônios à base de plantas para tornar sua aparência mais feminina, no papel era o noivo. Mesmo assim, optou por usar um vestido de seda vermelho brilhante e salto alto. Jenny-Anne, um gerente de vendas aposentado, posou como noiva em um vestido creme, com direito à tiara de princesa. Eles foram oficialmente anunciados como marido e mulher diante de quatro amigos, que compareceram como testemunhas. Jenny-Anne (direita) foi casado durante 31 anos e se divorciou em 2000. Elen é divorciada duas vezes. Jenny-Anne disse: “Foi um fim de semana lindo. Recebemos muito apoio e amor de nossos amigos. No cartório tivemos de ouvir marido e mulher, por isso insistimos para celebrar nossa feminilidade na igreja, onde fomos chamados de ‘esposa e esposa’”. O casal tem sido um dos símbolos da luta para a aceitação de transgêneros, que não podem ser legalmente casados a menos que um deles troque de sexo. Jerry-Anne, que já tem uma neta, acrescentou: “A lei nos vê agora como um casal heterossexual que podem se casar, mas somos apenas duas pessoas que se amam e queriam declarar publicamente seu relacionamento. Foi bom encontrar uma igreja que nos aceita e receber a benção de Deus”.
Fonte: Gospel Prime

Harold Camping se aposenta e reconhece “Ninguém sabe o dia nem a hora”‏

Ele deixa a direção das emissoras de rádio e também do ministério fundado por ele. O pastor e radialista Harold Camping, 90 anos, resolveu se aposentar e está deixando a direção das emissoras da Family Radio e o seu ministério. A notícia foi confirmada por sua esposa, Shirley Camping, e por um documentarista próximo ao pastor que concedeu informações ao site Christian Post. Brandon Tauszik, o documentarista que ficou ao lado de Camping durante oito meses, disse que o pastor anunciou o término de seu ministério no dia 16 de outubro ao reconhecer que ninguém pode saber quando o apocalipse acontecerá. A última previsão do radialista era que o Juízo Final aconteceria no dia 21 de outubro, ciente que sua previsão falharia outra vez, Camping teria dito ao documentarista que Deus não deu a ninguém o poder de saber exatamente quando o arrebatamento viria, mudando completamente a mensagem que vinha pregando nos últimos anos. Em uma mensagem de áudio divulgada em setembro no site da Family Radio, Camping dizia que “o final vai vir muito, muito calmamente, provavelmente no próximo mês. Ele vai acontecer, no dia 21 de outubro”. Nos últimos dias nem o pastor sem seu familiares deram entrevistas, Tauszik foi uma das poucas pessoas que conseguiram contato com ele depois que a terceira previsão sobre o fim do mundo falhou. De acordo com o documentarista ele aparentava estar muito decepcionado com os cálculos errados sobre o dia 21 de maio, e por causa do derrame que sofreu em junho, sua voz estava fraca. Tauszik contou que Camping não sai de casa desde quando voltou do hospital e que são pastores que o representam na igreja. Tanto nas igrejas como nas rádios, os seguidores de Camping dizendo que mesmo decepcionados com o fato de Cristo não ter vindo no dia 21, os bons cristãos precisam estar preparados para essa data, quando Cristo finalmente retornar à Terra.
Fonte: Gospel Prime

Casamento gay entre gaúchas é reconhecido pelo STJ

O julgamento foi feito diante de um processo onde duas mulheres pediram para ter a união estável reconhecida como casamento. Nesta terça-feira, 25, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. A sentença foi dada para o pedido de um casal de gaúchas que vivem juntas há cinco anos. Quatro dos cinco ministros da quarta turma do tribunal autorizaram a mudança de estado civil, e agora a justiça abre precedente para que tribunais de instâncias inferiores ou até mesmo cartórios adotem posição semelhante. Não é a primeira vez que um casal gay consegue transformar a união estável em casamento civil, pois instâncias inferiores da Justiça já autorizaram processos parecidos. Esse caso só chegou ao STJ porque foi rejeitado por um cartório e pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. O último ministro que faltava votar (o julgamento começou na semana passada e foi suspenso a pedido do ministro Marco Aurélio Buzzi) disse que o Código Civil, que disciplina o casamento entre heterossexuais, “em nenhum momento” proíbe “pessoas de mesmo sexo a contrair casamento”. O único ministro que discordou do caso foi Raul Araújo Filho, que na semana passada chegou a dizer que era a favor, mas hoje voltou atrás e dizendo que não cabe ao STJ analisar o caso, mas sim ao STF. “Não estamos meramente aplicando efeito vinculante da decisão do STF, mas sim dando a decisão uma interpretação que não podemos fazer”, alegou.
Fonte: Gospel Prime

Passeata de muçulmanos na Malásia denuncia crime de “conversão a Cristo”

Quase dois mil protestaram nas ruas da cidade contra a tentativa cristã de acabar com o Islã. Passeata de muçulmanos na Malásia denuncia crime de “conversão a Cristo”. Cerca de 2.000 muçulmanos reuniram-se perto da capital da Malásia no último sábado, para denunciar uma tentativa cristã de converter muçulmanos. Esse embate religioso pode custar ao primeiro-ministro Najib Razak os votos das minorias nas próximas eleições. A manifestação, liderada por organizações religiosas não governamentais, teve início em meio a uma onda crescente de acusações de conversões ao cristianismo. Recentemente uma igreja metodista foi atacada por muçulmanos revoltados e o fato irritou as minorias étnicas do país onde mais da metade é de maioria islâmica. Homens, mulheres e crianças levavam faixas e cartazes e gritavam palavras de ordem contra os cristãos. A maioria lembrava ao governo que, pela lei da Malásia, trocar de religião é crime. “Nos reunimos aqui hoje para salvar a fé dos muçulmanos e acabar com essa ameaça de apostasia”, afirmava Yusri Mohamad, presidente do comitê organizador. ”Algumas pessoas dizem que eles [os não-muçulmanos] trabalham arduamente para espalhar a sua religião e não há nada de errado com a apostasia. São essas vozes que queremos calar com o nosso encontro de hoje. ” Os membros da etnia malaia, mais da metade da população, são muçulmanos por nascimento e constitucionalmente proibido de deixar a fé. Os não-muçulmanos (cristãos e budistas) têm liberdade de culto. A igreja metodista disse que estava numa reunião de caridade quando foi invadida. Os protestantes islâmicos dizem que era uma campanha evangelística e não estavam contentes com o número de pessoas que passaram a se denominar cristãs depois das reuniões naquele templo.
Fonte: Gospel Prime