SEJA SOLIDÁRIO – DOE SANGUE

HEMOCENTRO SANTA CASA DE SÃO PAULO
em conjunto com a Igreja Evangélica Cristã Tempo da Graça 
 
O saudoso sociólogo e portador de hemofilia: Hebert de Souza (Betinho) contava uma estória, que dizia o seguinte:
Uma floresta estava pegando fogo, e um beija-flor começou a carregar água no bico para apagá-lo, enquanto que a bicharada toda só corria de um lado para o outro, preocupados porque não iam ter onde morar.
O leão, rei da floresta, parou o beija-flor e perguntou:
– Ô beija-flor, você acha que vai conseguir apagar esse fogo sozinho?
O beija-flor prontamente respondeu:
– Não! Eu sei, mas estou apenas fazendo a minha parte!
MORAL DA HISTÓRIA
Se todos fizerem a sua parte e trabalharem em torno do mesmo objetivo será muito maior a chance de conquistá-lo.
 
 
1 João 3:16 Sabemos o que é o amor por causa disto: Cristo deu a sua vida por nós. Por isso nós também devemos dar nossa vida pelos nossos irmãos.

Doação de sangue dia 31/03 saída as 10h da Igreja Tempo da Graça – Rua Inacio Luis da Costa 1888 Pq Sao Domingos SP – (11) 3831-0485 / 3644-4175

Voce esta sendo convidado a participar desta grande campanha de doação de sangue

Doar é uma demonstração de amor

Cerca de 3.000 cristãos estão presos na Eritreia de maneira desumana

Cerca de 3.000 cristãos estão presos na Eritreia de maneira desumana. A Eritreia continua prendendo cristãos em containers de metal e também em prisões em condições desumanas por simplesmente professarem sua fé em Jesus. É possível que no momento tenham entre 2.000 ou 3.000 pessoas presas por serem membros de denominações não reconhecidas pelo governo. Localizada na África, a Eritreia só foi incluída no relatório anual de Liberdade Religiosa Internacional, na Comissão dos Estados Unidos, no ano passado e agora figura na lista dos países que geram preocupação diante da discriminação e perseguição de cristãos. A história mais marcante foi da cantora evangélica Helen Berhane que ficou mais de dois anos dentro de um container, vivendo em condições desumanas e sem direito a julgamento. Tudo porque ela se converteu e gravou um CD com músicas evangélicas, por esse motivo ela foi acusada de ser um “inimigo político” por propagar um discurso diferente do Estado. Casos como o de Helen são difíceis de receberem interferência internacional, pois o país não tem processo judicial independente, ou seja, os cidadãos não podem, de maneira pacífica, organizar protestos. Outro fator que impede a ação é a falta de organizações nacionais que defendam os direitos humanos e como se não bastasse a imprensa não tem liberdade de expressão. A agência de notícias Christian Solidarity Worldwide (CSW) afirma que os cristãos sofrem muita perseguição e quando são presos ficam trancados em ambientes quentes e insalubres, sofrendo privações e torturas. Entre as igrejas cristãs que não são autorizadas pelo governo da Eritreia a prestar cultos livremente está a Igreja Adventista do Sétimo Dia, além de muitas outras que foram banidas pelo Estado. Mesmo assim 47% da população se declara cristã e 49% são muçulmanos.
Com informações Portas Abertas
 

Maior líder muçulmano da Arábia Saudita pede a destruição de todas as igrejas cristãs

Maior líder muçulmano da Arábia Saudita pede a destruição de todas as igrejas cristãs. O sheik Abdul Aziz bin Abdullah, o grão-mufti da Arábia Saudita, maior líder religioso do país onde Maomé nasceu, declarou que é “necessário destruir todas as igrejas da região.” Tal comentário do líder muçulmano foi uma resposta ao questionamento de uma delegação do Kuwait, onde um membro do parlamento recentemente também pediu que igrejas cristãs fossem “removidas” do país. O grão-mufti salientou que o Kuwait era parte da Península Arábica, e por isso seria necessário destruir todas as igrejas cristãs de lá. “Como acontece com muitos muftis antes dele, o sheik baseou sua fala na famosa tradição, ou hadith, que o profeta do Islã teria declarou em seu leito de morte: ‘Não pode haver duas religiões na Península [árabe]’. Isso que sempre foi interpretado que somente o Islã pode ser praticado na região”, explicou Raymond Ibrahim, especialista em questões islâmicas. A importância dessa declaração não deve ser subestimada, enfatiza Ibrahim: “O sheik Abdul Aziz bin Abdullah não é um líder muçulmano qualquer que odeia as igrejas. Ele é o grão-mufti da nação que levou o Islã para o mundo. Além disso, ele é o presidente do Conselho Supremo dos Ulemás [estudiosos islâmicos] e presidente do Comitê Permanente para a Investigação Científica e Emissão de Fatwas. Quando se trata do que o Islã prega, suas palavras são imensamente importantes “. No Oriente Médio, os cristãos já estão enfrentando perseguição maior, incluindo a morte, nos últimos meses. Especialmente nos países onde as facções militares islâmicas têm aproveitado o vácuo de poder criado pelas revoluções da chamada “Primavera árabe”, como Egito, Líbia e Tunísia, Jordânia, Marrocos, Síria e Iêmen. Os cristãos coptas, por exemplo, que vivem no Egito há milênios estão relatando níveis mais elevados de perseguição de muçulmanos. No Norte de África, os muçulmanos prometeram erradicar o cristianismo em alguns países, como a Nigéria. No Iraque, onde os cristãos tinham algumas vantagens durante o governo de forte Saddam Hussein, populações cristãs inteiras fugiram. O Irã também tem prendido crentes e fechado igrejas mais do que de costume. Ibrahim escreveu ainda em sua coluna: “Considerando a histeria que aflige o Ocidente sempre que um indivíduo ofende o Islã, por exemplo, uma pastor desconhecido qualquer, imagine o que aconteceria se um equivalente cristão do grão-mufti, digamos o papa, declarasse que todas as mesquitas da Itália devem ser destruídas, imaginem o frenesi da mídia ocidental. Imediatamente todos os veículos gritariam insistentemente ”intolerância” e “islamofobia”, exigiriam desculpas formais e apelariam para uma reação dos políticos”. O estudioso acredita que uma onda de perseguição sem precedentes está prestes a ser iniciada na região, que ainda testemunha Israel e Irã viverem ameaçando constantemente fazerem ataques. O resultado disso pode ser um conflito de proporções globais.
Traduzido e adaptado de Arabian Business e WND
 

NOTA PÚBLICA DE REPÚDIO

A associação brasileira de ex´s LGBTT (ABEXLGBTT) vêm por meio do seu presidente, Joide Miranda (ex travesti), emitir NOTA PÚBLICA DE REPÚDIO em relação as declarações do procurador federal Jefferson Aparecido Dias por perseguição religiosa contra a pessoa do pastor Silas Malafaia. A abex, associação formado por ex homossexuais, declara que não aceitará qualquer ato de perseguição contra qualquer pessoa que pacificamente se posicione contra a homossexualidade. Nesse sentido, declara que está tomando as devidas medidas legais junto ao Conselho Nacional do Ministério Público para dar início a um pedido de abertura de processo administrativo disciplinar em relação à atuação do procurador Jefferson Aparecido Dias para que explique na ótica do direito positivo pátrio de onde tirou a tipificação alienígena de “declaração homofóbica” em relação a fala do pastor Malafaia. Por fim, vem declarar com profundo pesar que é extremamente preocupante uma autoridade da República Federativa Brasileira, livre e democrática, estar aparentemente utilizando um órgão tão estimado como o Ministério Público para atuar em prol de um pequeno grupo intolerante e que não aceita as diferenças de opiniões com relação a homossexualidade. O que nos parece é que uma doutrinação totalitária da sociedade brasileira está aos poucos tentando ser implementada. Mas que com a atuação de homens de coragem, que não temem a própria morte e não se curvam frente ao mal, não evitarão esforços para impedir que tal doutrinação sem base racional e científica venha a ocorrer. – Brasília, 10 de março de 2012 –

 

Joide Miranda / Matheus Sathler

Presidente abex  / Advogado abex

 

O ESCRAVO JOE

Não já como servo, antes, mais do que servo, como irmão amado, particularmente de mim, e quanto mais de ti, assim na carne como no Senhor? – Filemom 1:16
 
Após trabalhar toda a sua infância, Joe tornou-se forte, robusto e a pleno vigor de sua juventude, ele disse a si mesmo:
“Jamais trabalharei para alguém novamente.”
Sendo assim, ele não trabalhou mais para o seu senhor, e nem debaixo de muita violência alguém conseguia fazê-lo trabalhar. Por isto, ele foi colocado à venda no mercado escravo.
Chegando lá, foi colocado no alto de um palanque com outros escravos e ele gritava o mais alto que podia:
“EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM.”
Quanto mais pessoas chegavam para olhar e dar lances de compra, mais alto e mais forte ele gritava. Um a um, os escravos foram sendo vendidos, com exceção do JOE, que não parava de gritar:
“EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM.”
Embora fosse o escravo mais forte e bonito, ninguém o comprava. Porém de repente, para naquela praça uma carruagem muito luxuosa e um nobre senhor desce da mesma. Fitando os olhos no escravo que não parava de gritar, diz ao leiloeiro:
“Quero comprar este escravo”.
Então Joe grita:
“Senhor, não perca seu tempo e dinheiro, EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM.”
Mesmo assim aquele homem sem dizer uma palavra, pagou o dinheiro que foi pedido e conduziu JOE para a sua carruagem. Chegando lá ao invés de colocá-lo amarrado e ao lado do cocheiro, pediu aos seus servos que o desamarrassem e colocassem no interior da carruagem ao seu lado. Mesmo espantado e perplexo, JOE percorreu todo o caminho repetindo sua decisão. Porém seu senhor não dizia nenhuma palavra e isto o deixava impressionado.
A certa altura do caminho, já dentro das terras do seu senhor, a carruagem parou, aquele homem desceu e ordenou a JOE que descesse também. Ele mais uma vez repetia:
“EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM”.
Estavam agora diante de uma casa simples, mas muito bonita, com uma plantação ao lado, um riacho ao fundo e uma grande árvore frondosa e de frutos deliciosos à frente. O senhor disse:
“Está vendo esta casa JOE?”
Ele respondeu:
“Sim, é muito bonita, mas se o senhor acha que vou cultivar esta terra para o senhor, colher seus frutos para a sua mesa e manter a casa limpa para as suas visitas, não se engane porque como lhe disse da cidade até aqui EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM”.
– Não JOE, eu não quero que você trabalhe para mim! Esta casa e esta terra são suas! Eu não o comprei para me servir, eu o comprei para te libertar! Você agora é um homem livre e não precisa mais trabalhar para ninguém!
Entre lágrimas e muita emoção JOE se atira aos pés de seu senhor e lhe diz não agora gritando, mas com sua voz embargada:
“OH MEU SENHOR, ENQUANTO EU VIVER EU QUERO TRABALHAR PARA O SENHOR E LHE SERVIR!”
Hoje nós também somos assim, gritamos para Cristo que não iremos mais servir a ninguém! Mas Cristo nos mostra suas feridas e cicatrizes, nos mostra com amor nossa casa debaixo de uma árvore ao lado do rio da vida. Então quando percebemos que na verdade o que ele quer não é servidão e sim amor, nos jogamos aos seus pés e como JOE pedimos para servi-lo por toda a nossa vida.
  
Aí sim, nos tornamos ESCRAVOS POR VONTADE PRÓPRIA!
  
“O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo: arrependei-vos e crede no evangelho” (Marcos 1,15).
 

Diretor do BBB afirma que Deus não existe

O diretor geral do BBB, o Boninho, voltou a investir contra qualquer movimento que possa levar os integrantes do programa a buscar um contato com Deus. Na semana passada, ao ver que os integrantes oravam dentro da casa, o diretor do programa de maior faturamento da Globo, deu um recado aos confinados.“Não adianta rezar, porque no Big Brother Deus não existe”, avisou ele que torce contra todas as cenas de união entre os participantes. A medida assustou até mesmos os participantes que tentam criavam criar um ambiente harmonioso.Não é a primeira vez que este tipo de programa estimula valores não cristãos. No início desta edição a emissora foi acusada de tentar abafar um estupro. Isso vem a comprovar que o programa que tem o maior rendimento comercial, mas não é campeão de audiência, não tem compromisso com os valores cristãos. O boicote ao BBB a cada momento cresce entre os cristãos. No início do programa Igrejas e Ministérios criaram um movimento no twitter. Em alguns casos, líderes estimularam que durante exibição do programa que está com audiência cada vez menor, os evangélicos fizessem a leitura da Bíblia.
Fonte: Creio